Sistema

O Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos (PLID), desenvolvido pelo Núcleo de Apuração Criminal (NAC) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), foi tema de palestra, nesta quarta-feira (28/11), no BPM Congress – Congresso Nacional de Gerenciamento de Processos na Gestão Pública, evento promovido pela Association of Business Process Management Professionals Brazil (ABPM). O objetivo do evento é disseminar o uso de técnicas, ferramentas e melhores práticas de gerenciamento de processos, proporcionando aos participantes a oportunidade de ampliar seus conhecimentos, de forma a tornarem-se incentivadores do desenvolvimento da cultura de processo nas organizações públicas. O evento, que terminou nesta quarta-feira, aconteceu no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

A palestra, ministrada pelo Procurador de Justiça Rogério Scantamburlo, Coordenador do PLID, e pelo Promotor de Justiça Pedro Borges Mourão Sá Tavares de Oliveira, Subcoordenador do Programa, integrou o painel “Como desenvolver um bom projeto de processos com foco em automação”. Seu tema foi “Mapeamento de rotinas em BPMN e automação de ações de apoio à investigação penal – Programa PLID”. A palestra teve o objetivo de demonstrar a experiência obtida durante o desenvolvimento do Módulo de Atos de Comunicação PLID e as análises que conduziram ao seu respectivo sistema de indicadores, todos desenvolvidos como instrumentos de monitoração e de apoio às decisões de gestão.

O PLID é referência no uso do método Business Process Management(BPM), que é uma disciplina que visa a identificar, desenhar, medir, controlar e melhorar as rotinas administrativas de uma organização. A abordagem desse tipo de gestão foca principalmente nas rotinas administrativas que influenciam diretamente os objetivos estratégicos da organização.

Para Scantamburlo, os elogios recebidos após a palestra, seguida de perguntas mediadas pela Coordenadora Geral de Planejamento do Dataprev, Nicir Chaves, demonstram o sucesso do PLID na área de gestão pública.“O MPRJ é pioneiro na implantação deste serviço. Os elogios demonstram que o NAC do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro está no caminho certo: gestão em negócios e tecnologia da informação. Este é o nosso futuro, um caminho sem volta”, afirmou o Procurador de Justiça.

Pedro Borges ressaltou que o projeto de automação é fruto de uma pareceria desenvolvida junto ao ELO – Group, empresa de consultoria que vem apoiando diversas organizações a inovar e otimizar suas práticas e ferramentas de gestão, e com a INTALIO, empresa americana reconhecidamente de ponta no desenvolvimento de tecnologias de automação de rotinas.“O PLID evidenciou que a automação de rotinas é de altíssima relevância dentro das demandas autuais de aperfeiçoamento do MPRJ, tendo também amplo potencial de reduzir substancialmente os custos operacionais. No caso do objeto deste piloto, a tarefa que o servidor realizava, por vezes, em 30 minutos a uma hora, agora pode ser efetivamente realizada em cerca de dois minutos e meio, com substancial restrição do potencial de erro na execução”, disse o Promotor.

Manual do Sistema PLID – Manual do usuário do Sistema do Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos