Apresentação

O Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos (PLID) tem como objetivo a localização e identificação de pessoas desaparecidas, vítimas de crimes ou não. O sistema foi concebido a partir do Programa de Identificação de Vítimas (PIV) — que recebeu uma menção honrosa na sétima edição do Prêmio Innovare, em 2011 — e funciona por meio de um banco de dados inteligente, que cruza informações provenientes de diversos órgãos utilizadas nos processos de localização de desaparecidos, identificação de óbitos e verificação de fenômenos correlatos.

O trabalho é realizado a partir da recepção da demanda pelo sistema de atendimento. Um formulário on-line é preenchido com informações e características físicas do desparecido. Os dados são organizados e transformados em um documento eletrônico, que é encaminhado para uma equipe de operadores. Diligências específicas conectam as diversas bases de dados e motivam as ações de modo que se permita esgotar os meios ou identificar o vínculo desfeito. Atualmente, o PLID lista quase 6 mil casos ativos registrados.

A inciativa conta com a adesão de 18 unidades do Ministério Público no Brasil e se consolida como instrumento de aproximação entre a instituição e a sociedade. O PLID trabalha ainda em parceria com o Departamento de Trânsito do Rio de Janeiro (Detran-RJ), o Disque-Denúncia, o Departamento de Polícia Rodoviária Federal (DPRF), o Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro (ISP-RJ), o Ministério da Justiça e as polícias Civil e Militar do Rio, entre outros órgãos.